quinta-feira, 3 de agosto de 2017

O FACIN na prática com o Projeto GEO - Parte 1


Oficina ABEP-FACIN ocorreu em quatro encontros, nos dias 13 e 30 de junho e 17 e 25 de julho, no auditório da sede do SERPRO, em Brasília, com transmissão por videoconferência para as regionais da empresa e participação remota das entidades estaduais de TIC.


O objetivo da oficina foi proporcionar, às empresas e órgãos estaduais de TIC, a oportunidade de conhecer mais sobre o framework e implementá-lo em suas respectivas administrações. Desta forma, elas poderão desenvolver aplicações com alto grau de interoperabilidade e reuso, custos mais baixos e maior usabilidade por parte dos governos estaduais e dos cidadãos.
A oficina foi realizada com base em uma dinâmica de Análise de Cenário, compreendendo as atividades de identificação do problema, modelagem, análise e construção dos cenários atual e proposto (solução do problema).
O uso de cenários reais tem dois benefícios importante e diretos: o entendimento, aprendizado e uso de métodos e modelos a partir de sua aplicação prática em um problema conhecido por todos, bem como a construção de uma proposta real de solução para seu tratamento.
Nesta série de artigos abordaremos a aplicação dessa dinâmica no cenário levantado pela PRODEMGE para implantar uma solução corporativa de geoprocessamento no Estado de Minas Gerais, utilizando o FACIN.
O FACIN tem por objetivo construir uma visão consistente dos modelos de representação das capacidades de cada organização governamental. Por meio do estabelecimento da Arquitetura Corporativa e de padrões de interoperabilidade, o FACIN apoiará a Estratégia de Governança Digital Brasileira, ampliando a colaboração entre as organizações do Governo Federal e melhorando a eficiência dos serviços de governo eletrônico para a sociedade (cidadãos, governos, organizações e empresas). Como padrão, incorporado à Arquitetura ePING de Interoperabilidade, o FACIN atuará como uma referência para os diversos órgãos da Administração Pública.
Um framework de arquitetura corporativa, segundo o TOGAF (The Open Group Architecture Framework), é uma estrutura fundamental ou um conjunto de estruturas, que podem ser utilizadas para o desenvolvimento de uma ampla gama de diferentes arquiteturas. 
O framework de arquitetura deve descrever um método para a criação de um estado de destino da organização, em termos de um conjunto de elementos de arquitetura (blocos de construção), e para mostrar como estes se encaixam. Também, deve conter um conjunto de ferramentas e fornecer um vocabulário comum, assim como, deve incluir uma lista de normas recomendadas e produtos compatíveis que podem ser usados para implementar os elementos principais ou complementares de uma arquitetura.
A partir desta definição, um dos componentes principais é o metamodelo de elementos de arquitetura, que define “o que” uma iniciativa que utiliza Arquitetura Corporativa deve considerar para o desenho, desenvolvimento e implementação de uma solução de negócio baseada em TI, como uma lista de verificação de itens e conteúdo. Entretanto, outros componentes são necessários a fim de suportar o uso eficiente do Framework de Arquitetura Corporativa (AC) nesta lista:
     Como – Quais etapas e técnicas são necessárias para conduzir uma iniciativa de AC?
     Onde – Em que local são armazenadas e gerenciadas as informações produzidas ao longo de todos os esforços de AC?
     Quem – Quais são os papéis e responsabilidades necessários para assegurar a operacionalização bem-sucedida das etapas de uma AC?
     Quando – Em quais momentos, o uso de conhecimentos e padrões específicos de domínios são utilizados e de que forma?
     Porque – Quais são os princípios, direcionadores, metas e mecanismos de tomada de decisão a fim de conduzir as iniciativas de AC de forma que realize benefício para as partes interessadas?
No desenvolvimento do FACIN, foram utilizadas, enquanto fonte de pesquisa e trabalhos iniciais, os padrões de mercado em AC, que seguem descritos nos tópicos a seguir.
·      Zachman Framework
Mesmo na condição de um padrão proprietário, desenvolvido, mantido e disponibilizado por Zachman International, Inc, o Zachman Framework é um dos mais antigos e mundialmente utilizados por empresas e governos ao redor do mundo desde meados dos anos 80, quando John Zachman o criou enquanto ainda atuava junto à IBM.
O Zachman Framework é um esquema que compreende a intersecção entre duas classificações históricas que têm sido utilizadas por literalmente milhares de anos. A primeira corresponde a um conjunto de fundamentos da comunicação encontrado nos questionamentos primitivos: Que, Como, Quando, Quem, Onde e Porque. É a integração de respostas a estas perguntas que permitem a descrição abrangente, composto de ideias complexas. A segunda é derivada de reificação, ou seja, transformar algo abstrato em algo concreto, inicialmente postulada por antigos filósofos gregos e é rotulado no Zachman Framework: Identificação, Definição, Representação, Especificação, Configuração e Instanciação (figura 1).

Figura 1 – Zachman Framework
Acesse aqui o detalhamento completo da aplicação da dinâmica de Análise de Cenário, apresentada na Oficina ABEP-FACIN e utilizada pela PRODEMGE, para implantar uma solução corporativa de georreferenciamento no Estado de Minas Gerais, utilizando o FACIN.

No próximo artigo abordaremos os padrões TOGAF, ArchiMate e o Modelo de Conteúdo do FACIN!
Autores: Antonio Plais, Guttenberg Ferreira Passos, Leonardo Grandinetti Chaves e Sandro Laudares

Nenhum comentário :

Postar um comentário