Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2015

Contabilidade Pública: Importância estratégica para a sociedade

No plano estratégico, qualquer ente da Federação que deseje conhecer as atividades relacionadas à gestão do patrimônio público deve se organizar sob o aspecto normativo, administrativo e tecnológico. Assim, um dos passos fundamentais é estabelecer os sistemas organizacionais e suas competências, que, por sua natureza e complexidade, devem ser apoiados por estruturas administrativas e sistemas informatizados. As boas práticas de governança exigem a implantação e constante aperfeiçoamento, no mínimo, dos seguintes sistemas organizacionais, no âmbito do setor público:
Planejamento e de Orçamento; Administração Financeira; Pessoal; Patrimônio; Contabilidade; e Controle Interno.
Entre esses, o Sistema de Contabilidade se caracteriza pelo seu papel de transversalidade, ao proporcionar apoio aos demais sistemas, pela própria natureza da Ciência Contábil.
Como ciência, a Contabilidade aplica, no processo gerador de informações, os princípios, as normas e as técnicas contábeis direcionados…

"Houston?... temos um problema..."

Graças à Internet, acabo de descobrir que a frase do título nunca foi dita (pelo menos, não literalmente). Segundo as gravações entre o centro de operações da NASA e a tripulação da nave Apollo 13, o astronauta Jack Swigert - e não o comandante Jim Lovell - teria dito algo como "tivemos um problema" mas, assim como outras citações famosas nunca realmente pronunciadas ("Toque outra vez, Sam!" e "Luke, eu sou seu pai!"), o que passou para a História foi um pouco diferente do real.
Quando trabalhava na unidade de Qualidade Total da CAIXA, costumávamos usar o filme "Apollo 13 - do desastre ao triunfo", estrelado por Tom Hanks, para reforçar aspectos relacionados a trabalhar com o inesperado e tomar decisões sob pressão. A história daquela missão espacial é fantástica para promover conexão imediata entre o desenrolar dos fatos e eventos vividos por cada um de nós - além de levar ao extremo sensações humanas de ansiedade, expectativa, coragem e várias …

Arquitetura Corporativa aplicada aos serviços públicos na Nova Zelândia

Até 2017, o governo da Nova Zelândia pretende que os serviços públicos sejam radicalmente transformados para o benefício de todos os cidadãos neozelandeses – A transformação da TIC direcionada pela arquitetura corporativa é que vai tornar isso possível. Um dos principais objetivos da Arquitetura Corporativa é garantir que os investimentos em tecnologia, informação e desenvolvimento de processos sejam rentáveis, sustentáveis e alinhados com os objetivos estratégicos do governo e das organizações públicas naquele país. A v2.0 da Arquitetura Corporativa Governamental para a Nova Zelândia (Government Enterprise Architecture for New Zealand - GEA-NZ) abordou os objetivos das orientações e prioridades do programa de TIC do Governo; suas regiões e zonas foram orientadas no sentido de classificar e descrever as capacidades comuns de infraestrutura que foram desenvolvidos no âmbito do programa entre 2009 e 2013. O Plano de Ações do governo Neozelandês, para 2017, estabelece os objetivos estratégi…

Inovação depois da Nova Gestão Pública – [eBook] “Dá pra fazer"

Gabriela Tamura apresenta um capítulo de 'Dá pra fazer' e uma entrevista com o autor.O livro “Dá pra fazer” é um conjunto de relatos experimentais dos membros da equipe da Assessoria de Inovação em Governo (iGovSP) sobre inovação na gestão pública. O livro orienta os gestores públicos sobre o tema, desde a fundamentação e motivos para inovar em governo até a apresentação de métodos e alternativas para iniciar o processo de mudança no setor público. A coluna ‘Dá pra fazer’No texto passado fizemos um texto com o resumo e entrevista do primeiro capítulo do livro com Senhor Roberto Agune. Este mês seguimos – pela ordem dos capítulos – com o Senhor Sérgio Bolliger que escreveu sobre a inovação depois da nova gestão pública. Depois do resumo você pode conferir a entrevista que realizamos com o autor. Aproveite  Inovação depois da Nova Gestão Pública Resumo do capítuloSérgio Bolliger inicia o segundo capítulo do livro “Dá pra Fazer”propondo uma releitura da tradição inovadora chamada …

O que é a CONCAR?

A CONCAR é um órgão colegiado do Ministério do Planejamento, atualizada conforme Decreto s/no de 1º de agosto de 2008, descendente da antiga COCAR, instituída pelo Decreto lei 243 de 28 de fevereiro de 1967, que fixa as diretrizes e bases da Cartografia brasileira e dá outras providências.

Atribuições da CONCAR:
• Assessorar o Ministro de Estado na supervisão do Sistema Cartográfico Nacional (SCN)
• Coordenar a execução da Política Cartográfica Nacional
• Exercer outras atribuições nos termos da legislação
Cabe à CONCAR:
• Subsidiar a formulação de ações que envolvam Cartografia;
• Pronunciar-se antecipadamente com relação às ações que necessitem de Cartografia;
• Prestar assistência aos encaminhamentos relativos à realização de gastos em Cartografia ou em investimentos diretamente a ela vinculados;
• Prestar assistência necessária à formulação da proposta orçamentária de cada órgão do Sistema Cartográfico Nacional, destinada a atender à demanda requerida pelo Plano Cartográfico Nacional, ou a…

Referência à taxonomia em uma instância XBRL

Ao longo de alguns artigos aqui no blog estamos descrevendo o processo de criação de uma instância XBRL. No primeiro artigo falamos sobre a declaração XML, e sobre a tag principal. No segundo artigo explicamos o conceito de namespaces e como ele é utilizado em um documento de instância XBRL. Neste terceiro artigo abordaremos a forma como o documento de instância deve referenciar a taxonomia sob a qual o mesmo foi desenvolvido.
Esta referência deve ser feita através da tag schemaRef, a qual pertence a uma especificação chamada “XBRL Linkbase” dedicada para o estabelecimento de ligações (links) entre documentos XBRL. No exemplo abaixo, o namespace desta especificação foi criado com o nome link.
<link:schemaRef xlink:type="simple" xlink:href= "../../rep/dca/anexo1abhi/siconfi-dca-anexo1abhi_2014-12-31.xsd"/>
O atributo type indica o tipo de ligação que está sendo realizada, e o atributo href indica o arquivo da taxonomia no qual o documento de instância está basea…

Processos em notação VBPMN - parte 4 (final)

Nos últimos três posts vimos, rapidamente, uma forma de modelar um processo de trabalho usando a notação VBPMN. Diferentemente do que costuma ocorrer em nossos modelos tradicionais, algumas diferenças (e, em meu modo de ver, vantagens) que tal abordagem apresenta são:
- a representação explícita dos valores / resultados envolvidos no processo, dando origem a diagramas que, de fato, expressam cadeias de valor; - o início da construção dos modelos justamente a partir dos resultados a serem gerados, e não de uma visão interna; - a caracterização dos resultados / valores, por meio de descrições dos estados que julgamos serem necessários para sua utilização e para alcance dos objetivos do processo; - a diferenciação que fazemos dos papéis assumidos localmente pelos valores dentro de um processo, ou seja, se são insumos (a serem transformados), referências (a serem observadas na transformação) ou recursos de infraestrutura (consumidos, no todo ou em parte); - a montagem das cadeias de valor no s…